Bullying, uma brincadeira que não tem graça!

Olá amores, como vocês estão? Eu estou bem, e hoje vou falar de um assunto que poucas pessoas conhecem, mas que está presente – e muito presente – em nosso meio, o bullying. Antes de mais nada, eu não sou psicólogo, não sou analista, apenas quero ajudar quem sofre com isso.

Por mais que pareça meio distante da nossa realidade, o bullying é uma coisa séria, que traz danos seríssimos a quem sofre e a quem pratica. Muita gente acha que bullying é só agressão física, mas não é. Bullying traz danos muito piores, como por exemplo, o bullying psicológico. Diferente do bullying que produz agressão física, o psicológico é mais intenso porque grande parte das vítimas não demonstram ou não contam o que se passa com elas. Um tipo de pressão psicológica é o ato de colocar apelido. Por mais que pareça uma brincadeira imatura e sem graça nenhuma, isso afeta bastante o psicológico da pessoa. Vários estudos afirmam que pessoas que sofrem violência psicológica, ou passaram por grandes traumas, tende a si automutilar. Quando falo de si automutilar não é só se cortar. Automutilação é o ato que você se automachuca. Seja com cortes, seja dando socos em si mesmo, torturar a si próprio. Mais tarde isso pode se tornar em uma coisa muito mais séria como suícidio, que é uma das maiores causas de morte no mundo.

Mas você deve estar se perguntando, mas como sei que alguém está sofrendo bullying? Realmente não é uma tarefa fácil. A pessoa que sofre bullying, ela tende a se trancar por dentro, mas não demonstra. Um outro jeito de poder identificar é a exclusão do indivíduo de um meio. Ele se sente sozinho, sempre está com um olhar triste. Mas há aqueles que vivem “felizes” até quando chegam em casa. É lá onde ele vai chorar, onde vai se cortar. Por isso devemos estar bem atentos quanto a isso. Se você conhece alguém assim, tenta reparar nos pulsos – que são os lugares mais frequentes e propícios à cortes -. Se você encontrar, tenta conversar com a pessoa, faça com que ela se sinta confortável perto de você. Jamais use isso contra ela, porque machuca bastante a pessoa que sofre.

Amores, sei que esse post foge muito do nosso assunto, da nossa temática, mas eu não aguentava mais e tive que falar. Nós temos que dar um basta nisso, ou até quando isso estará presente em nossa sociedade? Até quando jovens morrerão por conta desta praga?

frase-bullying-e-simplesmente-tao-horrivel-e-alguem-tem-que-parar-isso-acontece-nas-escolas-por-demi-lovato-123030

Compartilhe esse post para mais e mais pessoas, para que juntos possamos dar um basta nesse mal. Beijos e até o próximo post ❤

Anúncios

10 comentários sobre “Bullying, uma brincadeira que não tem graça!

  1. Vitor Gasparezzo

    Fala xará, tudo bem? Eu já sofri muito com esse mal, graças a Deus não sofro mais. É terrível, não sei como ainda tem gente que pratica esse mal. Seres que fazem isso devem procurar um tratamento. Parabéns pela iniciativa!

    Curtir

  2. Daiani oliveira

    Estudo numa escola onde isso é frequente. E o pior é que a diretora sabe e não faz nada. Eu fico indignada. Aí quando batemos num povo desse falam que estamos errados. Vai entender esse pais.

    Curtir

  3. Anônimo

    Não quis me identificar porque estudo na mesma escola que voce. Eu sofro muito disso na sala. Sao apelidos que me machucam muito. Tudo isso pela minha opção sexual. Tento de tudo para evitar, mas não dá.. Já nao sei o que fazer.. 💔

    Curtir

  4. bruna martins

    Meu Deus… Eu tive uma prima que cometeu suicidio por causa desses idiotas. E até hoje o caso não foi resolvido. So se resolve quando e com algum filho de politico… Que país é esse que vivemos??

    Curtir

  5. eu ja sofri com bullyng na escola,era horrível,as pessoas me chamavam de rata por causa dos meus dentes.eu não gostava do meu cabelo,e nao gosto do meu corpo,tambem sofro com isso pois sou muito magra,ja gastei muito dinheiro com minha aparencia só por causa da opnião dos outros…mas ignorei e aos poucos foram parando um pouco.

    Curtir

    1. victorscarpari

      Oii, as pessoas têm que entender que somos diferentes, e que nada e nem ninguém pode julgar isso. Ache para isso parar é simplesmente ignorar. Assim eles acharam que não está incomodando e irão parar. Que bom que contou a sua história. Fico feliz em poder ouvi-la. Beijos ❤

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s